terça-feira, 1 de abril de 2008

Makalu (8463m), João Garcia, 19.Mai.2008



Sem oxigénio artificial nem carregadores de altitude, João Garcia chegou ao cume do Makalu às onze horas da manhã, hora nepalesa, no dia 19.Mai.2008.
O frio e o vento agravaram as dificuldades da ascensão final, mas "as vistas magníficas do Everest, do Lhotse e do Kangchenjunga, os outros gigantes dos Himalaias, foram recompensa magnífica", diz o alpinista português, que chegou ao 8463 metros sozinho; foi seguido, algum tempo depois, por um guia francês e o seu guia sherpa. Os três alpinistas foram os únicos a atingir esta segunda-feira, dia 19 de Maio, o cume da quinta montanha mais alta do Mundo.



***

A vida é feita de objectivos dizia eu, no inicío deste espaço. Os meus prosseguem, agora numa onda mais intimista, mas sempre com grande foco e empenho. Mas o João, o nosso Carlos Lopes das montanhas, já tem o próximo bem definido. Sete meses depois de ter conquistado o K2, no Paquistão, vai agora liderar uma expedição internacional para o Makalu, considerada uma das montanhas mais difíceis dos Himalaias.
Em tradução literal do sânscrito, Makalu significa o Grande Negro, e é também um dos muitos nomes porque é conhecido o deus hindu Shiva. O pico, em forma de pirâmide quase perfeita, tem quatro escarpadas e íngremes faces de rocha e gelo, nenhuma delas de fácil ascensão. Depois de uma aclimatação de quatro semanas à alta altitude, Garcia e outros cinco alpinistas de cinco nacionalidades diferentes, tentarão atingir o cume, pela chamada via clássica, durante o mês de Maio. A escalada é mais uma etapa do projecto "À conquista dos Picos do Mundo", com que João Garcia pretende conquistar até 2010, as 14 montanhas de 8 mil metros do planeta. Se for bem sucedido, o alpinista tornar-se-à um dos cerca de 200 alpinistas que conquistaram o Makalu desde a primeira ascensão dos franceses Lionel Terray e Jean Couzy, em 1955, dois anos depois da primeira ascensão do Everest. As estatísticas himalaianas confirmam várias das dificuldades do Makalu: nunca foi conquistado no Inverno; só cinco das primeiras dezasseis tentativas foram parcialmente bem sucedidas; 22 alpinistas morreram já nesta montanha que tem, na realidade, dois cumes; com o Chomolonzo (7199m), o chamado cume secundário, é uma das demarcações geográficas da fronteira entre a região nepalesa do Kumbu e o planalto tibetano, ocupado pela China. Certamente mais uma aventura plena de emoções, para a equipa da montanha e com uma leve brisa também para nós, neste acto de voyerismo proporcionado pela SIC no blog/reportagem respectivo.





Enviar um comentário