terça-feira, 27 de setembro de 2011

Dinamarca 2011

Mesmo num território virgem de montanhas é possível ficar surpreendido. A Dinamarca é um reino, para nós, meio anónimo, com uma família real discreta, um povo que fácil e genericamente catalogamos como nórdicos e um protagonismo internacional discreto, com exceção das caricaturas de 2006... Confesso que para mim, a curiosidade não era grande. A única era mesmo o facto de ser o único dos 4 países nórdicos ainda não visitados. Mas a curiosidade aumentou e muito, assim que comecei a preparar a viagem. Além de tudo o resto que já aprecio nos nórdicos (organização, segurança, respeito pelo coletivo, fraternidade, ordem,...) comecei a descobrir um país com uma obsessão pela qualidade de vida, pela capacidade de transformar a mais simples das ideias em incríveis e úteis objetos do dia a dia. Descobri um país que numa altura de crise, de outrora, mas muito semelhante à que hoje temos aqui, soube reinventar uma indústria (carpintaria) e criar os meus LEGOs. Um país ainda onde, ao contrário do que imaginava, tem uma gastronomia galática, com estrelas Michelin por todo o lado e, onde até a mais banal sanduíche é preparada com os mais cuidados ingredientes e apresentada com todo o cuidado e detalhe. E finalmente um país onde as pessoas já descobriram que não precisam de um carro, precisam é de mobilidade e para isso fazem da bicicleta o seu óbvio meio de transporte.
















Fiquei rendido! Fiquei mesmo rendido à Dinamarca! E mesmo num país onde aparentemente os superlativos não eram evidentes (o ponto mais alto do país, esse tal Himmelbjerg que deu título estes dias a este blog, tem uns meros 170 metros de altitude...), eles estão lá. Discretos, estes superlativos, mas nem por isso, deixam de o ser... O melhor museu que alguma vez visitei até hoje, em Roskilde; a maior taxa de natalidade da Europa e, imagine-se só... "O povo mais feliz do mundo" também é o Dinamarquês! Mas apesar deste último título invejável, ainda assim os 5 milhões de dinamarqueses continuam humildes!! E agora percebo porque é que até o slogan da "melhor cerveja do mundo" tem um destacado "provavelmente" no início. Sim, a Carlsberg também é Dinamarquesa e sim, também estivemos lá!



5 comentários:

pedragrega disse...

Há sociedades fantásticas!

Gato disse...

Também gostei muito das viagens que fiz em países nórdicos. Não nutro especial simpatia por eles, mas admiro a forma de viver e estar deles. Já algumas vezes que pensei em visitar a Dinamarca, mas ainda não calhou!

Já agora, penso que ainda vos falta um país nórdico: Islândia! :P
É nórdico, certo? Pelo menos são descendentes dos vikings e foram Noruegueses e Dinamarqueses!

basto disse...

Grande observação. Sim, para fechar os países nórdicos todos, falta a Islândia, pois falta :( E como gostava tanto de lá ir também. Aliás é um dos meus destinos de sonho. E vocês que já lá estiveram vem devem confirmar. Mas além desse há um outro destino ainda que não está fora de questão. Não é país propriamente dito, mas é um grande território nórdico e que, por acaso, até é Dinamarquês: Gronelândia! Só tenho é pena de ser tudo tanto tanto caro...

Eduardo Prearo disse...

cada foto, mas duvido que as pessoas sejam diferentes das daqui. Acho que seria mais amigo deleas pelo fato de não entender a língua delas, como acontece aqui, no Brasil, comigo: não entendem o que falo; entedem minha aparência.

Viagens pelo Brasil - Conheço essa cidade disse...

Lindas fotos e excelente postagem. Parabéns. Continuamos visitando
http://nossasviagenspelobrasil.blogspot.com/