terça-feira, 27 de setembro de 2011

Dinamarca 2011

Mesmo num território virgem de montanhas é possível ficar surpreendido. A Dinamarca é um reino, para nós, meio anónimo, com uma família real discreta, um povo que fácil e genericamente catalogamos como nórdicos e um protagonismo internacional discreto, com exceção das caricaturas de 2006... Confesso que para mim, a curiosidade não era grande. A única era mesmo o facto de ser o único dos 4 países nórdicos ainda não visitados. Mas a curiosidade aumentou e muito, assim que comecei a preparar a viagem. Além de tudo o resto que já aprecio nos nórdicos (organização, segurança, respeito pelo coletivo, fraternidade, ordem,...) comecei a descobrir um país com uma obsessão pela qualidade de vida, pela capacidade de transformar a mais simples das ideias em incríveis e úteis objetos do dia a dia. Descobri um país que numa altura de crise, de outrora, mas muito semelhante à que hoje temos aqui, soube reinventar uma indústria (carpintaria) e criar os meus LEGOs. Um país ainda onde, ao contrário do que imaginava, tem uma gastronomia galática, com estrelas Michelin por todo o lado e, onde até a mais banal sanduíche é preparada com os mais cuidados ingredientes e apresentada com todo o cuidado e detalhe. E finalmente um país onde as pessoas já descobriram que não precisam de um carro, precisam é de mobilidade e para isso fazem da bicicleta o seu óbvio meio de transporte.
















Fiquei rendido! Fiquei mesmo rendido à Dinamarca! E mesmo num país onde aparentemente os superlativos não eram evidentes (o ponto mais alto do país, esse tal Himmelbjerg que deu título estes dias a este blog, tem uns meros 170 metros de altitude...), eles estão lá. Discretos, estes superlativos, mas nem por isso, deixam de o ser... O melhor museu que alguma vez visitei até hoje, em Roskilde; a maior taxa de natalidade da Europa e, imagine-se só... "O povo mais feliz do mundo" também é o Dinamarquês! Mas apesar deste último título invejável, ainda assim os 5 milhões de dinamarqueses continuam humildes!! E agora percebo porque é que até o slogan da "melhor cerveja do mundo" tem um destacado "provavelmente" no início. Sim, a Carlsberg também é Dinamarquesa e sim, também estivemos lá!



Enviar um comentário