quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Tanzania

Jambo!
(ola' em Swaili, a lingua oficial do Quenia e Tanzania)
Ontem acabei o post com uma imprecisao. Nos estamos e' na Tanzania. O Kilimanjaro e' deste lado da fronteira. A viagem de autocarro teve essa peripecia pelo meio. Tivemos que atravessar uma fronteira terreste aqui em Africa. A aldeia fronteira e' um chamariz para todos os que querem vender o pouco que tem. E' importuno o constante chamamento para as compras. Mas como a Liliana disse no comenta'rio, com espirito, esta viagem e' uma autentica loucura. Nao ha' que ter medo, ja que, coitados estao a fazer pela vida. Na fronteira voltamos a pagar mais $50 para obtermos o estimado visto. O passaporte portugues nao e' visto por estes lados e, por isso, demoram um pouco mais a ver a nossa info. Mas ja constatamos que as pessoas gostam de nos. Portugal para quem aqui conhece e' sinonimo de Vasco da Gama (que passou por Mombassa, na costa do Quenia) ou de futebol, a linguagem universal para conversas de rua. E' um excelente desbloqueador de conversa, principalmente para os homens das nossas idades. Ontem fiquei mesmo sem palavras. O miudo/graudo conhecia tudo!! Ate o Maritimo. Claro que com o nosso analfabetismo futebulistico, nao desenvolvemos muito, mas quando falei em Paul Tergat, o queniano que nos ganha as maratonas todas ai de lisboa, marquei pontos.
Estamos agora em Arusha, uma das aldeias do sope' do Kilimanjaro. Hoje vimos, sem duvidas, pela primeira vez a montanha la longe, ainda longe a 2h de jipe que iremos fazer amanha. Mete respeito e a Liliana assustou/me, viu-a pela primeira vez e inspirou de susto como que se tivesse visto um leao. Nao ainda nao vimos desses animais estranhos. Esta aldeia e' um caos organizado. Os servicos estao todos ca', mas claro tudo e velho, muito sujo mas com muita agitacao. O unico senao da aldeia (que mais parece cidade) sao as constantes abordagens para comprar algo ou para fazer safaris. Mas com pacienciencia e desculpas esfarrapadas la nos safamos. De dia anda-se a vontade. A noite seguimos os conselhos do guia e ficamos na varanda do quarto a apreciar os sons da bicharada. E' verdade, 'a noite houve/se tudo, como se estivessemos acampados. As pessoas sao extremamente solicitas e as pessoas que estao nos servicos sao de uma subserviencia extrema. Sao super hospitaleiros e parece que conhecidos por isso em Africa.
Hoje de manha tivemos o briefing para a montanha com o nosso guia - Yusto - Gostamos ambos dele. Bastante seguro nos conselhos, fez as perguntas todas e com bastante determinacao. Tem a minha idade e ja subiu 'a montanha vezes sem conta. O ultimo grupo com que foi, foi tb um casal de 49 e 51 anos e... foram la acima. Vamos ver nos. TEmos tudo pronto. O check-up ao material esta feito. Deram-nos os parabens por isso "estao muito bem equipados" acreditamos que vao conseguir. Vamos la a ver... O tempo esta como esperavamos, mais quente que ontem e abafado.
Vou-vos deixar com este relato. Vamos para a montanha amanha. Nao sei se conseguimos dar noticias antes disso ou durante a expedicao. Se sim, o joao publica. Se nao, regressamos a Arusha no dia 1 Marco. Ate la, vamos viver a montanha e usufruir do ceu com as estrelas que nunca vimos. Estamos no hemisferio sul e, por isso ha constelcaoes nunca visiveis ai em portugal. Ah, outra curiosidade, sabiam que aqui a agua dum lavatorio gira em sentido contrario? Eu tambem nao, mas vou fazer o teste.
Abracos nossos e ate breve. Paulo & Liliana
Enviar um comentário