terça-feira, 26 de maio de 2015

Noite e dia

Um compasso musical que nos guia e conduz ao longo da vida. É bom o dia, desde o raiar do sol da manhã até ao raio verde do pôr do sol. Ouvir o sussurar da natureza pela madrugrada fresca, logo logo excitado pela energia contagiante do sol que veste os dias. Sentir na pele a cor e o calor que nos transformam. Cheirar o aroma colorido das flores que se deixam embelezar pela fotosíntese. Mas para nós pais, o dia é sobretudo o par de horas onde partilhamos os momentos de cumplicidade com os filhos, a metade onde pomos tudo de nós na esperança de um ser completo. Durante o dia respira-se, transpira-se e eleva-se o ser. A noite encerra em si a penumbra, o mistério de toda a nossa imaginação, ampliada pela ausência de luz. Por si só, podia esvaziar-se na negação do dia. Contudo, trago em mim um carinho enorme pela noite. No levantar da cortina de luz para o deslumbre sem fim do universo infinito. O céu noturno é apoteótico. Um desfilar de estrelas, noite após noite, condimentadas por planetas, luas, meteoros,... Um espetáculo épico mas gratuito (quase) todas as noites, nessa abóbada por cima de si! Mas este pêndulo dia/noite é ainda para nós pais, disciplina. Um exercício constante de sincronizar a energia dos filhos com a rotação do planeta. Alinhar o ciclo circadiano dos filhos com o nosso. O dia e a noite. A existência de um antevê a perspetiva do outro. Vale a pena sonhar de noite, vale a pena viver e vibrar de dia! Hoje o dia foi especial. O feriado municipal de Matosinhos encerrou a creche do Tiago e ficamos os quatro. O pai e os três filhos. Correu bem, muito bem, com uma manhã tranquila no parque da cidade. O Tiago está um craque na bicicleta de equilíbrio.

Enviar um comentário