sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Fontes, Fontanários e Nascentes

Gosto, gosto muito de fontes, fontanários e nascentes. Esse porto de abrigo da alma. Desse som cristalino da água a cair despojada no tanque. O xilofone desse gotejar que encanta e  reconforta instantanemanete. Esse som inconfundível que nos afasta as fobias e tranquiliza. Uma fonte de água pura é vida, um fontanário de água potável é frescura, uma nascente de água límpida é esperança. Gosto muito de fontes, daquelas que nos esperam e nos deixam encher o cantil, o Platypus, a SIGG ou simplesmente a mão côncava em forma de cálice para saciar a boca, sedenta de água. Não damos o devido valor às fontes, aliás infelizmente nas cidades não conheço alguma que não ostente o rótulo, "imprópria para consumo". A maior parte delas já secou, foi selada pelo delegado de saúde ou pura e simplesmente cansou e esgotou o líquido fundamental. Mas há uma exceção. Roma. As fontes de Roma, são uma imagem de marca. Dezenas distribuem capilarmente por toda a cidade água potável, inodora, insípida, incolor e incrivelmente fresca. Uma revelação e uma exceção urbana que nos surpreendeu! É certo que por cá a água potável ainda não escasseia. A rede alimenta e entrega-nos essa necessidade sem problemas. Mas a magia de uma fonte ou a referência de um fontanário são insubstituíveis. No interior ainda os há, puros e autênticos como no antigamente. Recordo como se fosse hoje, esse prazer, sentido no fontanário de Montouto, ao fundo da grande subida de bicicleta, de Dine para a Moimenta. Esse fontanário ali estava a cantar a melodia do descanso, à minha espera, revigorando os músculos e retemperando forças para o resto da jornada. Água límpida, livre e gratuita. Mas e as nascentes? Discretas e recôndidas no topo das serras, puramente preservadas ali bem perto do céu. Ou então as subterrâneas  e subtis, que borbulham debaixo dos nossos pés, sem nos darmos conta. A visita à mina de Arca d'Agua, aqui no Porto, há uns anos atrás uma autêntica revelação! Estas nascentes, uma maravilha da natureza, a roda dentada fundamental deste ainda mais fundamental ciclo da vida. Tantas emoções, tantas histórias, que só posso confessar que gosto... gosto muito de fontes, fontanários e nascentes.

Fonte de Trevi | Roma

Mina de Arca de Água | Porto


Fonte pública | Roma

Nascente termal Terra Nostra | S. Miguel - Açores


Enviar um comentário