sábado, 27 de outubro de 2012

Ponto final

Gosto, gosto de um ponto final. Esse sinal ortográfico que nos dá fôlego no final de uma frase. Que nos encerra um raciocínio. Que nos completa uma afirmação. Mas gosto mais e refiro-me sobretudo, ao ponto final, metáfora. A conclusão, o encerramento, a versão final, a última página, a última gota, um diploma, a volta depois da ida. Esses finais não disruptivos, antes pois construtivos, conclusivos, que realizam, que valorizam e preenchem. Essa sensação ótima de terminar algo. O ponto final da última página de um livro por exemplo, dá-me gosto. Tenho pena de não ser capaz de ler mais rápido. Falta de tempo, deficit de concentração ou excesso de sono atrapalham-me sempre as boas intenções. Por isso quando leio o último ponto final de um livro, sabe-me mesmo bem. Um curso, um trabalho, um projeto. Que bom é o ponto final derradeiro. Esse final saboroso da conclusão. Esse alívio de poder partir para outra. O ponto final de uma viagem. Gosto muito de viajar, mas o bilhete de regresso a casa, o ponto final do plano de viagem, dão-me segurança e conforto. Esse ponto final que nos transporta do "vejo como é", para o "conto como foi". É bom viajar, mas é tão melhor ainda o ponto final e o regresso à casa partida, para um balanço, para retemperar forças. Talvez por isto também goste dos pontos finais geográficos. Um cabo, uma península. Esses redutos últimos do nosso alcance terreste. Lembro-me agora do Cabo Finisterra, ali na Galiza, onde estivemos em junho de 2011, um lugar emblemático, religiosa e culturalmente, onde a península parece que se esgota. Mas os mapas atestam que o ponto final da ibéria, da europa ocidental continental não é Finisterra, é antes o Cabo da Roca. Esse outro ponto final, que de quando em vez se ouve na metereologia. Passamos por lá, já no ido ano de 2004. E mais recentemente tivemos que ver e sentir outro ponto final emblemático. Skagen, o norte mais norte da Dinamarca. Essa língua de areia que ondula ao sabor das marés. Esse  ponto final de um país plano, que com orgulho vende este ponto final como um orgulho seu. Um bom ponto final é um prazer sim. Por isso gosto, gosto muito de um  (bom) ponto final (.)


Cabo da Roca, Portugal | 2004
Cabo Finisterra, Galiza | 2011

Skagen, Dinamarca | 2011

"Pela China Dentro", António Caeiro | Dom Quixote
O meu mais recente ponto final



Enviar um comentário