quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Provérbios

Gosto, gosto muito de provérbios. Essas expressões do povo, que em pouco, dizem tanto. Esses ditos populares que condimentam o discurso e o tornam mais genuíno. Um provérbio é a alma pura da nossa identidade, o saber acumulado de gerações, o suspiro de emoções, o ensinamento do tempo maduro. A lista de provérbios populares portugueses enche provavelmente um compêndio volumoso. São muitos e cada um mais criativo que o outro. Estes provérbios são muito nossos, da nossa cultura, da nossa língua. Qualquer exógeno novo falante da nossa língua terá a lição dos provérbios nas últimas aulas do curso. Terá que desenvolver antes tanta gramática, tanto vocabulário e tantos significados que provavelmente nem lá chegará. Até hoje, raros foram os provérbios que ouvi da boca de um estrangeiro. Por isso, os provérbios populares permitem a quem os usa, uma imediata cumplicidade com quem os ouve. Uma empatia instantânea e gratuita. Sabê-los usar no momento e contextos certos é a chave do sucesso. De todos os que existem nesse tal compêndio imaginário, há sempre os clássicos, que andam na rua conosco e nos aparecem frequentemente pela frente. Recordo-me agora de alguns, os clássicos. De pequenino se torce o pepino; Grão a grão enche a galinha o papo; Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura; Devagar se vai ao longe; Roma e Pavia não se fizeram num dia; Amor com amor se paga; Não há luar como o de Janeiro nem amor como o primeiro; Quem feio ama, bonito lhe parece; Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje, etc... Os provérbios dão um bom tema de conversa e um exercício de memória excelentes entre amigos. Conheço poucos provérbios, mas gosto muito de conhecer novos e frescos provérbios. Noutros países também os há, que ditos poplares existem em todo o lado. Da língua franca, lembro-me apenas do pedagógico "an aple a day, keeps de doctor away", ou do chinês que, por sinal também o temos como português, "a palavra é prata, o silêncio ouro". Brilhante! Os provérbios são tão ilustrativos. Belas metáforas, belas rimas, belos exemplares da sabedoria popular. Por isso gosto, gosto muito de provérbios.



Enviar um comentário